Equipes do Objetivo são campeãs da RoboCup Junior Brasil – Competição Brasileira de Robótica (CBR)


Parabéns, alunos do Colégio Objetivo premiados na RoboCup Junior Brasil – Competição Brasileira de Robótica (CBR). Cinco equipes do Objetivo mostraram conhecimento, estratégia, planejamento, criatividade, agilidade e precisão na resolução dos desafios propostos e, como resultado, conquistaram primeiro, segundo e terceiro lugares nas categorias Rescue Simulation, OnStage Advanced, Rescue Maze Primary e Soccer Light Weight. Pelo excelente desempenho, a equipe Time 73 RoBits classificou-se para representar o Brasil na maior olimpíada de robótica estudantil do mundo, a RoboCup Junior, que ocorrerá em 2023, em Bordeaux (França).

A edição 2022 da RoboCup Junior Brasil, realizada de 17 a 22 de outubro, em paralelo com a final da Olimpíada Brasileira de Robótica, em São Bernardo do Campo (SP), reuniu alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Técnico. Os participantes tiveram que construir e programar robôs que interagissem em cenários específicos para cada categoria.

“Participamos com cinco equipes no maior evento de robótica do Brasil. Depois de seis dias de torneio, resolução de inúmeros desafios, resiliência e superação em uma saudável competição, conquistamos cinco troféus, na melhor campanha da equipe de Robótica de Competição do Colégio Objetivo”, comemora o professor Almir Júnior, coordenador do curso preparatório do Colégio Objetivo para Olimpíadas de Robótica.

Campeões na Robótica
Tanta dedicação e cuidado com os detalhes chamaram a atenção dos juízes da categoria Rescue Simulation, que elegeram campeã a equipe Time 73 RoBits. O desafio foi desenvolver estratégias para que robôs autônomos virtuais navegassem em uma situação de resgate de vítimas em mundo cibernético.

“Simulamos o resgate on-line em um aplicativo de computador. Programamos o robô para percorrer as trilhas, localizar e salvar o máximo de vítimas. O mais difícil foi usar a câmera, necessária para identificar o tipo de vítima. Levamos bastante tempo para implementar essa parte no projeto”, comenta Marcos Menezes Nunes, aluno da 1ª série do Ensino Médio.

Sua colega de equipe Sophia Yara Yano, do 9º ano do Ensino Fundamental, conta que a competição trouxe muito aprendizado. “Foi minha primeira participação na RoboCup Junior Brasil. Gostei muito da experiência. Além de criarmos o nosso próprio código, foi uma oportunidade para o intercâmbio de experiências entre todos os participantes”, afirma.

Interessados e dedicados, os alunos do Colégio Objetivo têm apresentado excelentes desempenhos em torneios e olimpíadas científicas do conhecimento. Seus projetos envolvem inteligência artificial, realidade aumentada, robótica, mecânica, montagens de robôs e trabalho em grupo. Eles competem de maneira saudável, aprendem a ter disciplina para seguir regras e a improvisar soluções para problemas inesperados.

Foi o que demonstrou a equipe Defenders, vice-campeã na categoria Rescue Maze Primary,quedesenvolveu robôs capazes de identificar vítimas em um ambiente hostil. “A ideia consistiu em simular uma cena de desastre natural. Nesse espaço, foi enviado um robô, 100% autônomo para se deslocar, conseguir se localizar e resgatar as vítimas desse acidente”, explica Gabriel Nottoli Buck, aluno da 3ª série do Ensino Médio.

Na categoria Soccer Light Weight, os alunos construíram e programaram dois robôs autônomos para um jogo de futebol entre os times. A Aperture Robotics classificou-se entre as três melhores equipes da competição.

Mario Bros & Pac-Man: games inspiram projeto tecnológico
As equipes Molibdênio 42 e Tungstênio conquistaram segundo e terceiros lugares, respectivamente, na categoria OnStage Advanced. O desafio foi construir robôs autônomos que interagissem com humanos em uma performance criativa no palco. Os temas foram inspirados em dois jogos eletrônicos populares das décadas de 1980 e 1990.

A riqueza de detalhes chamou a atenção do público. A Molibdênio 42 trouxe ao palco uma corrida de kart entre os personagens Mario Bros e Bowser competindo pelo amor da Princesa Peach. A “Linha de Chegada” promovia a troca de informações entre todos os robôs da apresentação, atuando como servidor. Ela também contava as voltas e determinava o vencedor da corrida por meio do reconhecimento de cor. Na rodada final, após o kart ultrapassar a chegada, “fogos de artifícios” foram disparados por meio de pressões armazenadas em garrafa PET e válvulas solenoides.

“Usamos um Game Engine para manipular vídeos e áudios que reagem dinamicamente à performance. Essa ferramenta permitiu implementar uma inovação físico-virtual com realidade aumentada e exibir um vídeo de replay do vencedor ultrapassando a chegada”, explica Gabriela Bassegio, aluna da 3ª série do Ensino Médio.

O tema foi apresentado pela primeira vez na RoboCup Junior 2022, que ocorreu na Tailândia, em julho. Na ocasião, as inovações trazidas ao mundial de robótica renderam um convite à equipe para representar a categoria OnStage Advanced no simpósio internacional, voltado a estudantes do Ensino Superior. Os alunos do Objetivo mostraram tudo o que sabem de inteligência artificial para quase 200 universidades de todos os quatro cantos do mundo, sendo ainda convidados a contribuir com suas pesquisas.

Para a edição nacional, eles implementaram o projeto. “Mudamos algumas coisas, como tamanho da pista e remontamos alguns robôs por questões de hardware. Agora tudo está funcionado de forma mais harmônica”, comenta Oscar Shijie Song, aluno da 3ª série do Ensino Médio.

A Tungstênio apresentou o clássico Pac-Man, que percorre um labirinto repleto de pastilhas e fantasmas que o perseguem. “Criamos um fliperama de papelão equipado com sensores ultrassônicos e painel de led conectados ao Arduino, robô Pac-Man equipado com Bluetooth e sensor infravermelho. Todo o cenário interagia. Ficamos sete meses trabalhando nesse projeto, mas o último mês foi decisivo para vivenciar a experiência que levarei para a vida inteira”, comenta Ian de Freitas Nagai, aluno do 9º ano do Ensino Fundamental.

Confira as equipes premiadas na RoboCup Junior Brasil – CBR

1º Lugar
Categoria: Rescue Simulation
- Equipe: Time 73 RoBits
- Alunos:
Marcos Menezes Nunes
João Vitor Vieira Santos
Sophia Yara Yano
Vicente Perez Balbino

2º Lugar
Categoria: OnStage Advanced
- Equipe: Molibdênio 42
- Alunos:
Gabriela Bassegio
Lana Mei Ukei
Oscar Shijie Song
Raissa Moreira Sonego

Categoria: Rescue Maze Primary
- Equipe: Defenders
- Alunos:
Gabriel Nottoli Buck
Arthur Wunder Damásio
Felipe de Souza Meira

3º Lugar
Categoria: OnStage Advanced
- Equipe: Tungstênio
- Alunos:
Ian de Freitas Nagai
Lucas Yudi Iwai
Caio Yoichi Iwai
Giovanna Lacerda de Oliveira
Gabriela Kwong Yamaguti

Categoria: Soccer Light Weight
- Equipe: Aperture Robotics
- Alunos:
Mateus Silva de Araújo
Henrique Yuiti Kado
Enzo Florentino Souza
Leonardo Rosendo de Sena Blanco

Vídeos Relacionados