Parabéns, Guilherme Ryuji! Medalha de prata na Olimpíada de Matemática Online em Português (OMOP)


É bronze! Olimpíada Internacional Júnior de Ciências (IJSO) premia aluno do Objetivo

Guilherme Ryuji Osato, aluno da 2ª série do Ensino Médio do Colégio Objetivo Integrado, conquistou medalha de prata na Olimpíada de Matemática Online em Português (OMOP), realizada de 18 a 19 de dezembro de 2021. O torneio foi disputado por estudantes de até 15 anos do Brasil, Portugal e São Tomé e Príncipe.

"Fiquei extremamente contente em participar da OMOP. A experiência foi única, porque senti o gostinho da honra que é representar o Brasil em olimpíadas internacionais. A conquista me alegrou muito e me deixou mais animado para estudar ainda mais para as próximas provas", comemora Guilherme.

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) seleciona os estudantes para a OMOP. Após ter conquistado medalha de prata na OBM de 2020, Guilherme classificou-se para as seletivas ocorridas em 2021. Ele conta que um dos maiores desafios do processo foi o alto nível dos estudantes. "Os testes de seleção foram bastante desafiadores para filtrar os participantes. Os estudantes que competiram comigo eram dedicados e tinham desempenhos muito bons", comenta.

O conteúdo da OMOP envolveu diversas áreas da Matemática, como Álgebra, Combinatória, Geometria e Teoria dos Números. Uma das características da prova é o tempo para resolver as questões, que estimulam a capacidade de desenvolver ideias e a criatividade dos participantes. "O exame divide-se em duas partes, com apenas três questões e quatro horas e meia para cada, ou seja, bastante tempo para cada problema. A ideia é que nós experimentemos vários raciocínios e testemos diversas técnicas, analisando padrões, procurando por propriedades de um dado número ou interpretando uma figura geométrica, por exemplo. Nunca há uma única solução".

Guilherme conta que seu interesse por olimpíadas começou no 7º ano do Ensino Fundamental, por gostar de resolver problemas de Lógica. Desde então, não parou mais de competir e hoje soma dezenas de premiações: medalha de prata na Olimpíada de Maio 2021 e na OBM (2020 e 2018); bronze (2021) e ouro (2019) na Olimpíada Paulista de Matemática (OPM); prata (2021) e ouro (2020) na Olimpíada de Matemática da Unicamp (OMU); sem contar as medalhas conquistadas nas olimpíadas de Informática, Tecnologia e Ciências.

"Deparei-me com diversos tópicos belos e que desconhecia totalmente. São competições muito interessantes e criativas, porque propõem questões aparentemente sem solução que levam a raciocínios bastante inteligentes. Além disso, um grande estímulo no meu envolvimento com essas olimpíadas cabe ao professor Edson Abe, que sempre aumenta meu gosto pela Matemática em suas aulas, além de amigos e da comunidade, que, em geral, é muito receptiva e divertida", destaca o aluno.

Edson Abe, professor e orientador nos cursos especiais de Matemática do Objetivo, explica que, na preparação para a OMOP, Guilherme estudava durante a semana e também aos sábados. "É um aluno brilhante, muito dedicado e sempre procurando aprender novos assuntos. Devido à sua grande dedicação e talento, ele participa de várias seletivas para olimpíadas internacionais e na OMOP seu desempenho foi ótimo, conquistando a prata para o Brasil".

Perguntado sobre o que o motiva a participar desses desafios, Guilherme enumera incontáveis benefícios, entre eles a motivação pelo aprofundamento em tópicos avançados, importantes na descoberta e no desenvolvimento do gosto pelo aprendizado, e a troca de experiências entre pessoas que compartilham interesses semelhantes.

"As olimpíadas científicas, sem dúvida, incentivam os estudos e o fazer científico e, paralelamente, conseguem melhorar a qualidade da Educação do nosso país e do mundo. Dessa forma, ao participar, estamos apoiando esses meios saudáveis de promover o conhecimento", conclui Guilherme.