23 de setembro

  • Dia do Sorvete
Falecimento


1939 — Morre Sigmund Freud

Sigmund Freud nasceu em 1856, na cidade de Pribo, atual República Tcheca. Proveniente de numerosa família judaica, mudou-se para Viena aos 4 anos, provavelmente em busca de melhores condições de subsistência. Ingressou no curso de medicina aos 17 anos. Dedicou boa parte da fase acadêmica às pesquisas científicas, mas, uma vez graduado, deixou de lado o laboratório e passou a trabalhar no Hospital Geral da cidade.

 

Trabalhou por um período na França, com o médico francês Jean-Martin Charcot, que se dedicava aos casos de histeria. De volta à cidade austríaca, passou a atender casos de mulheres que sofriam desse mal. Sua prática profissional foi base de suas reflexões, que resultaram em conceitos e métodos revolucionários nos tratamentos de doenças mentais, e em obras como A Interpretação dos Sonhos, que inauguraram um novo campo científico, a psicanálise.

 

Em 1938 mudou-se para Londres, fugindo do nazismo, e lá morreu um ano depois, em 23 de setembro de 1939, de câncer na mandíbula.


1973 — Morre Pablo Neruda

O poeta Ricardo Eliecer Neftalí Reyes Basoalto, mais conhecido como Pablo Neruda, nasceu em 1904, em Parral, Chile. Perdeu a mãe quando tinha apenas um mês de vida, e mudou-se para Temuco em 1906. Estudou no Liceu de Homens, e lá publicou seus primeiros escritos no jornal A Manhã. Obteve, aos 15 anos, o terceiro lugar nos Jogos Florais de Maule com o poema Noturno Ideal.

Em 1921, fixou-se em Santiago, e estudou Pedagogia no Instituto Pedagógico da Universidade do Chile. Dois anos depois, publicou seu primeiro livro de poemas, Crepusculario. Em 1924, publica Veinte Poemas de Amor y una Canción Desesperada, que o consagrou em seu país.

Em 1927, foi nomeado cônsul-geral em Rangum, Birmânia (atual Myanmar) e pelos cinco anos posteriores representou o Chile em alguns postos do Sudeste Asiático. Em 1933, escreveu uma de suas obras mais destacadas, Residencia en la Tierra.

O poeta também atuou como cônsul na Espanha, servindo em Barcelona e Madri. Testemunhou a Guerra Civil Espanhola, fato que modificou sua visão de mundo, e o fez aderir ao pensamento marxista; a partir daí, passou a dedicar seus livros e sua vida em defesa dos ideais políticos e sociais sugeridos pelo comunismo. Em 1937 publicou España en el Corazón.

Neruda tornou-se membro do Partido Comunista chileno, pelo qual se elegeu senador entre 1945 a 1948, e foi indicado à Presidência, em 1970, mas desistiu em prol de Salvador Allende, com quem partilhava ideais semelhantes.

Em 1971, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura e o Prêmio Lênin da Paz.

Morreu em 1973, em Santiago, vítima de câncer de próstata, agravado pela situação política do país. Um ano após sua morte foram publicadas suas memórias, Confieso que He Vivido.