18 de setembro

  • Dia do Perdão
  • Dia dos Símbolos Nacionais
Outros fatos


1822 — Decreto estabelece a criação de uma nova bandeira para o Império Brasileiro

Em 7 de setembro de 1822, D. Pedro de Alcântara, filho de D. João VI, declarou, às margens do riacho do Ipiranga, a independência do País, marco oficial da autonomia em relação a Portugal e início da construção do Estado nacional brasileiro soberano.

 

Para celebrar essa fase, D. Pedro I estabeleceu, por meio de um decreto divulgado em 18 de setembro de 1822, a criação de um novo símbolo para a nação.

 

A nova bandeira verde e amarela com o Escudo de Armas do Brasil no centro foi concebida pelo pintor e desenhista Jean Baptiste Debret, com a colaboração de José Bonifácio de Andrada e Silva.
 Décadas depois, ao final do governo de D. Pedro II, o número de estrelas que compunham o Escudo aumentou para 20 após a anexação das Províncias do Amazonas (1850) e do Paraná (1853).

 

A bandeira sofreu alterações ao longo dos anos. Em 19 de novembro de 1889, foi adotada a bandeira nacional do Brasil composta de um retângulo verde com proporções 07:10, sobre ele um losango amarelo e sobre este, um círculo azul atravessado por uma faixa branca com a frase “Ordem e Progresso”. Desde maio de 1992, a bandeira apresenta 27 estrelas que representam as unidades federativas, sendo 26 estados e um distrito federal.


1946 — É promulgada a quarta Constituição da república

Em 18 de setembro de 1946, durante o governo do presidente Eurico Gaspar Dutra, foi promulgada a quarta Constituição republicana (quinta do Brasil).

 

O conteúdo apresentava as seguintes características: a união nacional mantinha-se federativa; o regime era representativo e presidencialista; a União foi fortalecida; o presidente era eleito por cinco anos; estabelecia-se que três senadores deveriam ser eleitos por Estado; o voto era universal e obrigatório para maiores de 18 anos (exceto analfabetos, soldados, cabos e índios); estabelecia-se a criação do Tribunal Federal de Recursos.


1950 — É inaugurada a primeira emissora de TV no Brasil

Entrou no ar no dia 18 setembro de 1950 a TV Tupi, primeira emissora de televisão da América Latina, por iniciativa do jornalista Francisco de Assis Chateaubriand.

 

O Brasil foi o quinto país do mundo a ter um canal de TV. Para isso, Chateaubriand enviou técnicos de rádio aos Estados Unidos para aprender a operar os equipamentos que trouxera do exterior.

 

Antes da inauguração propriamente dita, no dia 4 junho, foi realizada uma transmissão experimental — um musical apresentado por frei José Mojica, no auditório do Museu de Arte de São Paulo (Masp). A cerimônia oficial de abertura contou com a presença de personalidades como Homero Silva, Lolita Rodrigues, Mazzaropi, Walter Foster e Lima Duarte.

 

Além disso, em 1939, Edgard Roquette Pinto, médico, antropólogo e precursor do rádio no País, já apresentara publicamente o novo aparelho e fizera as primeiras experiências com o meio de comunicação audiovisual no Rio de Janeiro.

 

Ao final da década de 1950, o Brasil já contava com dez canais, entre eles a TV Paulista (1952), TV Record (1953) e TV Rio (1955).

 

Devido a problemas administrativos e financeiros, a TV Tupi encerrou suas atividades em 18 de julho de 1980. Após o fechamento da emissora, seu ativo foi dividido entre as organizações: Grupo Bloch, Grupo Abril e TVS (atual SBT).